Passo a passo: veja como financiar um imóvel com segurança - Blog César Rêgo Imóveis

Passo a passo: veja como financiar um imóvel com segurança

Saber realmente como financiar um imóvel pode evitar que você se complique no momento de realizar esse projeto tão importante que é a aquisição de um novo imóvel. Buscar as informações corretas para realizar isso se torna essencial para fazer uma compra acertada.

Vale ressaltar que alguns requisitos básicos como ser brasileiro ou estrangeiro naturalizado, maior de 18 anos ou emancipado e ter capacidade civil, ou seja, gozar plenamente das faculdades mentais e não estar envolvido em nenhum tipo de vício que comprometa a consciência, são premissas para angariar o financiamento de imóvel.

Agora chegou a hora de conhecer os pormenores desse processo para que você atinja os seus objetivos de forma sábia e acertada. Confira as informações a seguir!

1. Simulação

Conforme já informamos, a desinformação e a precipitação podem fazer com que algumas pessoas ajam de forma ansiosa e firmem um contrato de financiamento de imóvel que não é vantajoso para elas. O motivo disso é que elas não se dão ao trabalho de ler o acordo que estão assinando e nem pesquisar e fazer as perguntas necessárias que esclarecerão os detalhes e as possíveis dúvidas que possam ter.

Nessas horas, questões importantes como o valor das mensalidades a serem pagas e a taxação de juros sobre elas podem não ser devidamente calculadas no orçamento da família, trazendo inconvenientes que podem impactar o padrão de vida.

A melhor forma de evitar tal engano é fazendo uma simulação no banco ou na construtora que financiará o imóvel. Obviamente, você não deve realizar apenas uma simulação e se dar por satisfeito mas, sim, pesquisar bastante até encontrar a oferta ideal que atenda aos seus interesses. Sem isso, fica difícil fazer uma compra acertada. Pense bem e avalie com cuidado.

2. Escolha do banco

As condições de financiamento são muitas e elas podem variar no número de parcelas a serem pagas, taxação de juros e até mesmo valor máximo a ser financiado, dependendo da sua renda e do tempo que levará para pagar pelo imóvel.

Sendo assim, é novamente importante que você pesquise e não aceite a primeira opção como a única, tampouco a melhor. Averigue o que está sendo ofertado e veja se realmente vai ao encontro do que você está buscando e adequa-se ao seu planejamento financeiro.

A melhor forma de ter tranquilidade ao financiar um imóvel é se organizando e tendo cautela no momento da escolha do banco e do contrato a ser assinado.

3. Entrega da documentação

Passada essa fase inicial de descobrir qual o melhor imóvel e a melhor instituição para financiá-lo, é chegada a hora da entrega da documentação. Você precisará preparar uma série de documentos para fechar o contrato e logo abaixo os elencamos, confira:

  • Registro Geral (RG);
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • certidão de débitos dos tributos federais;
  • certidão de nascimento ou casamento, para quem é casado.

Vale ressaltar ainda que quem planeja utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) deve apresentar alguns documentos extras. Veja a lista abaixo:

  • extrato original do FGTS, emitido em uma agência da Caixa Econômica Federal;
  • cópias do comprovante de residência: um de, no máximo, três meses atrás e outro de, no mínimo, um ano atrás;
  • cópia da Carteira de Trabalho (CTPS);
  • cópia da declaração mais recente ao Imposto de Renda (IR);
  • quando casado ou união estável, deverá apresentar cópia da declaração do Imposto de Renda mais recente do cônjuge ou companheiro.

Com tudo isso em mãos, a instituição financiadora realizará então a análise do perfil bancário. Prossiga com a leitura e continue aprendendo!

[e-Book] Guia definitivo para comprar um imóvel em FortalezaPowered by Rock Convert

4. Análise do perfil bancário

Após a entrega da documentação, a agência que pagou pelo seu imóvel, e agora você a restitui por meio do financiamento, analisará as suas condições de arcar com esse compromisso financeiro.

Esse processo pode levar até 30 dias e caso haja alguma pendência no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e SERASA, a aprovação pode ser comprometida. Portanto, caso haja alguma pendência dessa natureza, é importante resolvê-la antes. Assim, no momento de análise do perfil bancário, não haverá problemas em viabilizar a intenção de financiar o imóvel.

Mesmo no caso de famílias de alta renda, pode acontecer até mesmo de haver alguma pequena dívida que passou despercebida e que comprometa essa etapa. Por isso, é importante checar se está tudo certo para que os planos se concretizem da melhor forma possível.

5. Avaliação do imóvel e visita técnica

Contar com uma imobiliária com um bom grupo de corretores pode fazer toda a diferença, tanto no momento de escolha do imóvel e da melhor forma de financiamento, como na etapa de avaliação do imóvel e visita técnica.

Profissionais com um olho treinado para isso poderão dizer como as obras estão indo e o que esperar daquela construção. Poder contar com esse auxílio traz maior tranquilidade sobre o negócio que está sendo feito e permite que você invista em algo que não trará dores de cabeça no futuro.

6. Assinatura do contrato

Após a avaliação dos seus documentos e aprovação para financiamento, é hora então de assinar o contrato. Obviamente, você só fará isso depois de ter seguido todos os passos anteriores, citados nos tópicos acima. Só assim terá segurança de fazer um negócio seguro e que realmente vale a pena.

7. Registro em cartório

Se você chegou até o momento da assinatura do contrato seguindo as precauções que indicamos ao longo deste post, parabéns! Pois agora é a etapa final, na qual o contrato deverá ser levado até o Cartório de Registro de Imóveis para, então, você finalmente poder ter aquele bem em seu nome.

Quando você fecha um contrato de financiamento pelo banco, a necessidade de escritura a ser emitida pela prefeitura é dispensada pelo fato de que o próprio contrato é tido como documento de fé pela legislação. Sendo assim, você não precisa dedicar tempo e recurso resolvendo essa parte do processo.

O banco emitirá a carta de liberação de baixa de alienação fiduciária, e você poderá então fazer o registro do contrato de compra e venda no cartório.

8. Despesas envolvidas no financiamento

É importante ter ciência das despesas envolvidas no financiamento, como o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), no valor de 2% sobre o preço avaliado pelo imóvel. Desses, 1,5% é o montante relativo à poupança e os outros 0,5% pelo valor financiado.

Feito tudo isso, caberá a você manter o planejamento financeiro realizado para a compra do imóvel, a fim de finalizar esse processo com satisfação e sucesso para a concretização dos seus objetivos.

Como pode ver, é completamente possível financiar um imóvel, seja para moradia própria ou para investimento. Nada que uma boa dose de informação não resolva e ajude você a ter mais clareza nessa jornada.

Se gostou de conhecer esse passo a passo, aproveite para descobrir quais são os 6 motivos para comprar um imóvel de segunda moradia!