Aluguel direto com o proprietário: quais os principais riscos para o locador? - Blog César Rêgo Imóveis

Aluguel direto com o proprietário: quais os principais riscos para o locador?

Fazer um aluguel direto com o proprietário, sem a intermediação de uma imobiliária, parece fácil à primeira vista, e talvez por isso muitas pessoas dão preferência a esse tipo de negociação. No entanto, essa é uma prática arriscada. Afinal, estamos falando de um contrato geralmente com prazo longo e relativo a um imóvel, ou seja, a responsabilidade é grande!

Entre essas complicações, estão os possíveis prejuízos, em caso de inadimplência do locatário. Vamos combinar que ninguém deseja ter esse tipo de problema no seu dia a dia, não é mesmo? Porém, não é só isso. Fazer a locação por conta própria também gera outros riscos para quem detém a propriedade do imóvel.

Quer saber quais são eles? Então, continue a leitura e entenda os principais riscos para o locador de fazer o aluguel por conta própria!

Possibilidade de desgastes na relação entre proprietário e inquilino

A relação entre proprietário e inquilino deve sempre se pautar no respeito e na harmonia, pois estamos falando do aluguel de um imóvel, ou seja, um patrimônio de alto valor econômico. Assim, eventuais desgastes entre as partes podem acabar, na pior das hipóteses, em danos a ele.

Além disso, conflitos entre locador e locatário podem dificultar para aquele o recebimento dos valores que lhe são devidos. Tal situação, que já é delicada, pode piorar em caso de não haver um acordo sobre os reparos necessários na edificação. E, então, como saber a quem cabe essa responsabilidade?

Risco de não pagamento e inadimplência

Como mencionado, um dos maiores problemas de fazer o aluguel direto com o proprietário é o risco de não pagamento e inadimplência. A verdade é que, em um acordo feito oralmente, ou mesmo havendo um contrato escrito, o locador pode ficar refém da inércia do locatário em fazer o pagamento do valor devido.

Isso porque muitas vezes ele não dispõe de conhecimentos ou meios suficientes para fazer a cobrança e, assim, receber o que lhe cabe. A falta de tempo, ainda, pode ser outro empecilho para lidar com isso.

Erros provocados pelo desconhecimento de leis e regras de locação

Algumas pessoas talvez não saibam, mas a locação de imóveis é regida pela Lei de Locações (Lei nº 8.245/91) e outras normas. Elas regulam questões importantes, como o reajuste, os prazos, as multas, além de prever as obrigações do locador e do locatário na relação firmada entre eles.

Assim, é possível perceber que o aluguel de um imóvel envolve detalhes relevantes e que dizem respeito a determinações legais. Por esse motivo, quando o aluguel é feito diretamente com o proprietário, alguns deles podem passar despercebidos, se os contratantes não conhecerem as normas legais pertinentes. Em razão disso, as partes envolvidas acabam correndo o risco de arcar com as consequências da não observância da lei.

[e-Book] Guia definitivo para comprar um imóvel em FortalezaPowered by Rock Convert

Recebimento de um valor menor que o de mercado

Quando o aluguel é firmado diretamente com o proprietário do imóvel, este corre o risco de receber um valor inferior ao praticado no mercado. Isso porque, embora possa ter uma noção de quanto valeria a locação, nem sempre há garantia de que o preço exigido seja justo, pela falta de conhecimento no ramo.

Essa situação representa um prejuízo, uma vez que o locador poderia estar firmando um contrato mais vantajoso, se conhecesse quanto realmente vale a sua propriedade. E, exatamente nisso está a importância de ser feita uma avaliação prévia da edificação por um profissional com conhecimento na área: o corretor de imóveis. Depois de analisar os detalhes dela, ele será capaz de estimar uma quantia justa a ser exigida.

Irregularidade no pagamento de taxas e impostos

Por lei, o pagamento da taxa de condomínio é obrigação do locatário. Cabe ao locador apenas as taxas extraordinárias, ou seja, as que eventualmente possam surgir por reformas ou reparos necessários no edifício. Quanto aos impostos, o proprietário é responsável, mas pode acordar com o inquilino de forma diversa, impondo a ele esse dever.

Diante disso, o acordo firmado diretamente entre as partes e sem os conhecimentos necessários pode gerar irregularidade na quitação dessas obrigações. Afinal, o locatário pode acabar deixando de adimplir com a taxa de condomínio que lhe cabe ou com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), se a responsabilidade tiver sido atribuída a ele. Nesse caso, as consequências, como multas, por exemplo, serão suportadas pelo proprietário do imóvel.

Ausência de vistoria ou falhas

Quando um imóvel vai ser alugado, é fundamental que seja feita uma boa vistoria nele. O objetivo é analisar, antes do início do prazo do contrato, o estado da edificação. Isso inclui verificar se há rachaduras, o funcionamento das instalações elétricas e hidráulicas, a conservação de portas, janelas e fechaduras, entre outros aspectos.

Ao final da locação, essa vistoria também será fundamental para observar se a casa ou o apartamento se mantiveram nas mesmas condições após a ocupação do inquilino. Em caso de divergências, isso deve ser considerado e quitado ao encerrar o contrato. Por isso é tão importante que as análises inicial e final sejam feitas com atenção, de preferência com o auxílio de um profissional especializado, para garantir mais segurança a locador e locatário.

Sendo assim, é possível concluir que, apesar de ser uma prática bastante comum, fazer a locação de um imóvel por conta própria é uma decisão nada segura para o locador. Como visto, ela gera riscos que envolvem a relação entre as partes, o pagamento, o cumprimento da lei, o valor do aluguel, o cumprimento de obrigações e a vistoria.

Portanto, ao invés de fazer um aluguel direto com o proprietário, contratar uma imobiliária é sempre a melhor opção. Ela é a responsável por intermediar o negócio, do início ao fim. Ainda, a empresa se encarrega de fazer as cobranças e assegurar o pagamento ao locatário. Ela também garantirá o cumprimento da lei, determinará um valor justo, promoverá o acordo sobre pagamento de taxas e impostos e realizará a vistoria. É fundamental levar tudo isso em consideração ao alugar o próprio imóvel!

E você, já passou por alguma experiência ruim de ter problemas em um aluguel que foi feito por conta própria? Conte para a gente, deixando o seu comentário abaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *