SAC ou Price? Conheça ambos e descubra o melhor financiamento para você!

Se você vem cogitando comprar um imóvel, seja para moradia, seja para investimento, e está na dúvida se adota o financiamento pelo modelo SAC ou Price, veio ao lugar certo. Aqui, você vai tirar suas dúvidas para fazer a melhor escolha.

Afinal, na hora de realizar um investimento de alto custo, como a compra de um imóvel, são muitas as opções existentes de financiamento e os detalhes que precisam de atenção. O mercado oferece boas opções e é preciso conhecê-las para aproveitar o melhor delas.

Neste post, você compreenderá melhor como funciona o sistema SAC e a tabela Price, a fim de fazer uma aquisição acertada. Confira!

O que são sistemas de amortização?

Para saber qual a melhor tabela de financiamento, SAC ou Price, é preciso entender mais sobre sistemas de amortização. Em um financiamento imobiliário, é possível quitar ou amortizar a dívida de diversas maneiras.

Um sistema de amortização corresponde ao plano de pagamento do financiamento imobiliário, que pode ser realizado em parcelas iguais ou diferentes. A periodicidade mensal é a regra nesse tipo de transação.

Os sistemas de amortização mais utilizados no mundo se compõem de duas parcelas distintas: a primeira equivale ao capital e é denominada amortização. A outra corresponde aos juros.

Os sistemas mais usados são o Sistema de Prestações Iguais (ou seja, uniformes) e o Sistema de Prestações Constantes (SAC). Apenas no Brasil, o Sistema de Prestações Iguais é chamado de Price, sendo o mais usado no mundo.

A escolha do sistema de amortização é importante porque pode facilitar a quitação da dívida pelo mutuário, se for bem escolhido. A opção deve seguir o perfil do comprador e ser compatível com suas próprias necessidades.

Seja qual for o sistema escolhido, o contrato de financiamento está sujeito à correção monetária, que deixa as parcelas atualizadas conforme um dos dois modos seguintes: pós-fixado ou prefixado.

No primeiro, a correção acompanha um índice de mercado, como IGP-M, IPCA ou TR, sendo calculada depois do fechamento do mês precedente. No formato prefixado, o banco estipula um valor de correção e coloca o percentual na taxa de juros do financiamento. Assim, quando o modo prefixado é aplicado, os juros costumam ser maiores do que no formato pós-fixado.

O que é SAC?

O sistema SAC, sigla que encapsula as iniciais de Sistema de Amortização Constante, é um modelo de financiamento no qual os juros cobrados sobre as parcelas do empréstimo vão decaindo de forma constante ao longo do pagamento.

Por exemplo, se você financiou um imóvel de R$1 milhão e está pagando parcelas de R$1 mil, acrescidas de juros que a fazem atingir o valor de R$1.200,00, no mês posterior você pagará R$1.150,00. Dessa forma, as parcelas vão sendo corrigidas até a finalização do pagamento.

Como existe sempre uma diferença entre o valor emprestado pelo banco e sua amortização, ou seja, o pagamento que será feito acrescido de juros, é importante que você entenda esses pormenores. Assim, tem condições de entender exatamente o que e como está pagando.

Quais os prós e contras da SAC?

Se você tem renda o suficiente para adotar o sistema SAC como melhor alternativa, vá por ele e aqui explicamos o porquê: o abatimento dos juros logo no início do pagamento e a sua liquidação crescente ao longo do financiamento faz com que você seja menos penalizado por esse valor acrescido à amortização.

Porém, se você não pode assumir as parcelas iniciais mais altas que fazem parte do SAC, então talvez seja melhor pagar mais juros na tabela Price. Pelo menos, poderá honrar as suas dívidas e garantir que aquele imóvel que tanto deseja.

Quais perfis se adaptam melhor ao tipo de financiamento SAC?

É como dissemos: se você se planejou e organizou bem as finanças para a aquisição de um imóvel e a renda para adquiri-lo não for um problema, então poderá se beneficiar do SAC.

Considere, ainda, que quanto maior for a entrada, melhor, já que isso diminuirá o tempo de financiamento e mais rapidamente você estará livre de juros. Assim, vai arcar com um preço final mais justo na compra do imóvel desejado.

Dessa forma, se você tiver um bom montante disponível, poderá utilizar o SAC a seu favor e se beneficiar das vantagens que esse sistema tem a oferecer.

O que é Price?

Na tabela Price, ocorre o oposto do sistema SAC. Nela, a amortização aumenta, enquanto os juros abaixam ao longo do tempo. Porém, muitas vezes, o comprador não percebe isso, já que as parcelas são iguais durante todo o financiamento.

E-book Apartamentos CompactosPowered by Rock Convert

A verdade é que o formato de cobrança da tabela Price é utilizado amplamente nos mais diversos produtos parcelados, desde roupas até automóveis, não somente no financiamento imobiliário. Como o cálculo de juros e da amortização é embutido nas parcelas, sem o consumidor ver ou entender como funciona, ele não percebe os valores que está pagando ao longo da transação.

Na compra de um imóvel, por exemplo, seria como se naquele mesmo exemplo da propriedade de R$1 milhão você pagasse sempre a parcela de R$1.200,00. Porém, ao longo das prestações, estarão embutidos os juros de R$100,00 que fossem aumentando, enquanto o valor da amortização diminui.

Como isso não aparece para você no montante das parcelas, que não sofrem nenhuma alteração ao longo do tempo, você pagaria sempre os R$1.200,00 iniciais.

Quais os prós e contras da Price?

O sistema Price é vantajoso para quem não pode assumir um valor alto logo de início no financiamento. Ele tem como principal vantagem a continuidade e o equilíbrio das parcelas por todo o pagamento.

Isso faz com que a relação entre diminuição da amortização e aumento dos juros não sacrifique as finanças de quem está pagando, mesmo que isso possa significar mais juros em longo prazo.

Como sabemos, nem sempre é tão simples dispor da renda necessária para dar um bom valor de entrada e, logo em seguida, assumir parcelas mais altas para se livrar dos juros, como aconteceria no sistema SAC. Nesse cenário, a tabela Price se torna uma excelente alternativa para aquisição de imóveis.

Em suma, você deve avaliar quais são suas condições ao assumir um financiamento e, assim, se decidir sobre qual modelo melhor atende aos seus interesses.

Quais perfis melhor se adaptam ao Price?

Se você prefere pagar parcelas iguais, mesmo que ao final isso possa significar o acúmulo de juros do financiamento, a tabela Price talvez seja a melhor opção para você.

Digamos que tenha outros investimentos em imóveis, esteja pagando outro bem e que seja difícil, no momento, aproveitar das vantagens do modelo SAC. Então, a Price provavelmente se torna a sua alternativa ideal para adquirir aquela propriedade desejada.

Vale relembrar que tanto para o SAC quanto para a tabela Price existem modelos pré e pós-fixados. Ou seja, no primeiro, o banco define quanto você pagará ao mês. Já no segundo, o valor da próxima parcela será calculado de acordo com algum indexador atrelado ao mês anterior, como IPCA, IGP-M e tantos outros.

Pessoas de perfil mais conservador optam pelo formato prefixado, justamente por terem a certeza de quanto pagarão a cada mês. Assim, sentem-se mais seguras do que estarem sujeitas às alterações implicadas pelos indexadores do mercado financeiro.

Leve isso em conta também na hora de negociar e esclarecer quaisquer dúvidas com a instituição financeira escolhida para o seu financiamento.

SAC ou Price: que tal uma simulação para tirar as dúvidas?

Vamos considerar um exemplo para você ver, em números, qual o melhor sistema de financiamento: SAC ou Price. Um financiamento imobiliário de R$100 mil, com taxa de juros prefixada de 1,16% ao mês (14% ao ano), tem um prazo de 120 meses. Vamos ver como funciona em ambos os sistemas de amortização.

Na tabela Price, as parcelas seriam de R$1.552,86. O comprador gastaria, até o final do financiamento, R$186.319,00, ou seja, um acréscimo de R$86.319,00 sobre o valor inicial do financiamento.

A primeira parcela seria formada por juros no total de R$1.160,00, que correspondem a 1,16% de R$100 mil, mais o valor de R$392,86 relativo ao pagamento da dívida. A segunda parcela se comporia dos juros sobre o saldo devedor (1,16% de R$99.607,00, o que dá R$1.155,40), mais os R$397,40 da dívida.

Considerando o SAC, a primeira mensalidade seria de R$2 mil, ou seja, R$833,00 da amortização, mais R$1.167,00 de juros. No mês seguinte, o valor da amortização permanece o mesmo, mas os juros caem para R$1.150,00.

Nesse caso, haveria, portanto, uma redução de R$1.983,00 em relação ao mês anterior. No término do financiamento imobiliário, o comprador pagaria o total de R$172.796,00. Em resumo, temos:

  • tabela Price: total do financiamento, R$186.319,00;
  • SAC: total do financiamento, R$172.796,00;
  • diferença entre ambos: R$13.523,00.

Na hora de escolher o melhor sistema de financiamento, entre SAC ou Price, considere suas condições financeiras, o longo prazo e o que é mais vantajoso para você. Vale a pena, também, pedir a opinião de amigos e familiares que já optaram por um ou por outro sistema.

Se achou o conteúdo interessante e esclarecedor, assine a nossa newsletter para receber dicas e informações diretamente em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *